Loading...

Más!!! Mais!!! Piú!!!

Para acceder al repertorio de Norberto clica:
Per accedere all repertorio di Norberto clicca:
Para aceder as informações dos espetáculos de Norberto clique:

www.teatreandoimagenes.blogspot.com


Para acceder a textos de Norberto clica:
Per accedere ai testi di Norberto clicca:
Per aceder aos testos de Norberto clique:

www.teatreandotextos.blogspot.com

Márcio Marciano sobre Fragmentos de vidas divididas



Breve crônica dos caminhos que se entrecruzan ; 18/VI/2009 - Márcio Marciano

...Encerrando a programação, o palco principal do TJA – literalmente o palco, pois foi dessa perspectiva que o público assistiu ao espetáculo – recebeu o solo de Norberto Presta, “Via Rosse”, uma bela e inteligente declaração de amor ao teatro.

Em tempos de espetacularização da vida privada e, mais do que isso, da própria intimidade, salta aos olhos a ironia com que Presta conduz, através de seu olhar, o olhar do espectador para o reflexo de si mesmo, num exercício metalingüístico que embaralha as fronteiras entre teatro e realidade.

Não se trata aqui da emblemática dúvida renascentista sobre o que é real e o que é ilusão, mas das formas de elaboração que a subjetividade contemporânea utiliza para dar conta da fragmentação violentíssima da sensibilidade humana imposta pelo avanço tecnológico.

Em cena a presença de “alguém” (seria demasiado considerar tratar-se de um sujeito ou uma personagem) que, convencido de que já não é esse “alguém”, conversa em tom quase intimo com o público sobre o momento em que, olhando-se no espelho descobriu entre perplexo e aterrorizado que não se reconhecia a si mesmo.

Está posto o mote pirandelliano que permitirá a Presta tecer um sutil e complexo ensaio sobre a atormentada sensibilidade contemporânea, incapaz de entender, sobretudo, as denegações de si mesma.

Estabelecida sem mediações desnecessárias a regra clara do jogo, o ator convidará o público a rever seu próprio mecanismo de elaboração da memória através da superposição de narrativas que, mal se constituem se plasmam em novas narrativas, numa multiplicidade de vozes que nada tem a ver com sintomas esquizofrênicos, mas que aportam bifurcações “borgeanas” para o entendimento da experiência de desterritorialização em nível social e de cada um em particular.

A sutileza e comicidade patética deste jogo, no entanto, só é possível graças ao pleno domínio que o ator Norberto Presta tem de seus recursos expressivos. Ressalte-se que o ator nascido na Argentina, mas crescido na Itália, mescla intervenções em italiano com falas ditas num português “único”.

Chama atenção a mestria com que o ator funde, através de um meticuloso trabalho de composição corporal e vocal, a voz do “alguém” que se presentifica a vista do público com a voz dos demais fantasmas que povoam sua memória e que cobram materialidade na cena.

O jogo de diluição da fronteira que separa o ator do plano ficcional se completa vigorosamente quando este, ao tragar em cena, literalmente, algumas doses de conhaque e uma garrafa inteira de vinho, assimila a bebida e organicamente reage à sua ingestão. O tensionamento que esta atitude implica relativiza o tom fabular da narrativa e redimensiona o diálogo com o público: afinal, de quem se trata, que “eu” é o senhor do discurso?

Pirandello já havia no início do século XX formulado em cena as conseqüências das descobertas da psicanálise e a confluência dessa disciplina com as artes. Presta, reescreve “pirandellianamente” sua própria trajetória de desidentificação e desmemória de forma a nos oferecer, simpática e bem-humoradamente, uma dolorosa e atualíssima reflexão sobre quem de fato cada um de nós pensa que é...

…............................................................

Breve crônica dos caminhos que se entrecruzam – 19/VI/2009

Espaço fecundo de compartilhamento da experiência estética, as Demonstrações de Trabalho, que acontecem no dia seguinte à apresentação dos espetáculos têm se constituído como o esteio conceitual do Zona de Transição. Os questionamentos surgidos na fruição dos espetáculos ganham aí desdobramentos inesperados e o confronto de idéias lança um novo olhar sobre os aspectos técnicos da criação da cena e suas implicações no campo das escolhas éticas e ideológicas.

Foi assim na demonstração “Prisão para a liberdade”, quinta-feira, 18 de junho, com Carlos Simioni, e ontem na descontraída e produtiva conversa com Norberto Presta, que apresentou na véspera o solo “Fragmentos de vidas divididas”. O ator e diretor discorreu sobre os princípios que orientam seu trabalho, e comentou sua opção por um teatro que se fundamenta no jogo que nasce da fricção entre a presença do ator e o público durante o acontecimento teatral.

Antes de formular retoricamente um dos conceitos basilares de seu processo criativo, Presta convidou o público presente a que participasse de um “jogo, uma brincadeira de crianças”, no que foi prontamente atendido pela maioria. Todos em círculo, pediu que repetissem em coro certas seqüências sonoras e físicas como palmas acompanhadas de batidas rítmicas dos pés no chão, ou das mãos em partes do corpo. Depois de alguns instantes, passou a alternar esses comandos com questões aritméticas simples como 7 x 9. Queria com isso chamar a atenção para os mecanismos distintos que utilizamos para responder a esses estímulos.

Seu intuito era o de demonstrar como operam distintamente os hemisférios do cérebro humano, de um lado os mecanismos de resposta reflexa a estímulos e de outro o raciocínio puro. Segundo Presta, seu trabalho se baseia no intercâmbio entre os hemisférios, na troca fluida e constante de informações entre raciocínio e associação. Algo que ele sintetiza com a frase “pensar com o corpo e dançar com o cérebro”.

Essa introdução serviu para abordar o que julga seu maior interesse no teatro hoje e que consiste em investigar o fenômeno da presença do ator frente ao público, sem mediações ficcionais previamente calculadas e totalmente sob controle, como os efeitos teatrais de cenografia, luz e caracterização que de, de certo modo, comprometem o livre curso de sua subjetividade e impedem que se estabeleça com a platéia o jogo de interlocução entre a sensibilidade desta e a verdade do ator em situação, na fronteira entre espaço ficcional e realidade teatral...

Márcio Marciano

Fragmentos de vidas compartidas (más críticas)






Fragmentos de Vidas Divididas no FILO


Fragmentos de Vidas Divididas

Aggiungi immagine
Centro de Produção Teatr
al Via Rosse
(Itália )

14,15 de junho de 2009.

Horário: 19 horas

Diretor: Norberto Presta

Classificação: Teatro Adulto

Faixa Etá
ria: A partir de 16 anos

Duração: 60 minutos

Local: Sala de Espetáculos do Sesc - Rua Fernando de Noronha, 264


Levantar-se pela manhã, olhar-se no espelho e não reconhecer-se mais. De quem é o rosto visto? São apenas vozes. Deixar-se olhar por si e pelo outro que não sabemos bem quem é. Ficar até quando não restar mais coragem para permanecer só diante daquela imagem. Então escapar, passar para o espaço ritual da própria rotina, de pijama, com a cara que é desconhecida e com as vozes que vêm fazendo presente as memórias que não nos pertencem mais. Com ironia e humor, Norberto Presta vive esse personagem que ouve a voz de todos, escapa de si mesmo e que não deixa de falar sobre coisas da vida.

Apoio: Sesc

Oficina no FILO (14 a 16 de junho 2010)


Treinamento e Criação no Momento Cênico – Norberto Presta (Itália)

Data: 14 a 16 de junho
Horário: das 9h30 às 12 horas
Local: Divisão de Artes Cênicas da Casa de Cultura da UEL (Av. Duque de Caxias, 3391)
Número de vagas: 14
Público: estudantes e profissionais de teatro e dança
Inscrição: de 30 de maio a 6 de junho pelo e-mail oficinas@filo.art.br.
Valor: R$ 30,00

Enviar carta de intenção (conforme modelo fornecido no site) e currículo resumido.

Conteúdo:
A oficina propõe uma visão do Centro de Produção Teatral Via Rosse sobre a formação e preparação físico-psíquica para o desenvolvimento do ator-bailarino. Na oficina, Norberto Presta vai trabalhar paralelamente o treinamento e a criação do movimento cênico, fases que se complementam mutuamente.

Ministrante:
Ator, diretor, pedagogo e escritor teatral ítalo-argentino, Norberto Presta é fundador do Centro di Produzione Teatrale Via Rosse, na Itália. Os temas sociais e políticos, num teatro onde a imagem e o corpo são protagonistas, fazem o conteúdo e a forma de seu trabalho. Pesquisador convidado da Unicamp, ele dirigiu no Brasil espetáculos do grupo Lume Teatro.

El predielcto de los lepidópteros (Críticas)